Criofrequência e criolipólise são tratamentos estéticos muito populares para quem está tentando se livrar da gordura localizada.

Apesar dos nomes parecidos, os tratamentos são bem diferentes entre si, tendo em comum apenas as temperaturas baixas.

Enquanto a criolipólise congela as células de gordura mais sensíveis ao frio, a criofrequência provoca um choque térmico que acelera o metabolismo.

Quer entender um pouco melhor esta diferença? A gente te conta abaixo!

 

O que é criolipólise?

A criolipólise chama muito a atenção pela promessa de eliminar de 20% a 25% da gordura corporal na primeira aplicação.

Entretanto, estes resultados não são imediatos, os primeiros resultados costumam começar a aparecer depois de 10 dias do procedimento e o resultado final pode demorar até 90 dias.

Os aparelhos utilizados na criolipólise funcionam através da sucção da pele e congelamento das células de gordura da região que está sendo tratada.

Este congelamento causa a morte das células que armazenam a gordura e o organismo começa um processo de eliminação.

Por conta de todo este processo, a criolipólise é uma ótima opção para tratar os "pneuzinhos" e melhorar o aspecto da celulite.

A técnica é mais indicada para algumas partes do corpo, como: abdômen, costas, braços e culote.

O número de sessões necessárias vai ser definido pelo profissional, de acordo com a quantidade de gordura localizada que o paciente deseja eliminar.

O intervalo entre as sessões costuma ser de três meses.

Antes de fazer a criolipólise é bom ficar atento a algumas coisas:

- É normal o aparecimento de hematomas leves por conta da sucção.

- O profissional escolhido deve fazer uma avaliação prévia da pele para saber se o paciente vai suportar ou não o tratamento.

- É contraindicado para pessoas com pele glicada.

 

O que é criofrequência?

A criofrequência também é conhecida como "radiofrequência fria". Esta técnica utiliza o frio e o calor para eliminar a gordura e gerar o efeito de "lifting".

O procedimento é realizado com um aparelho de ponteira ultracongelada que resfria a superfície da pele, enquanto ondas eletromagnéticas geram calor nas camadas mais profundas.

O encontro destas duas temperaturas provoca vários choques térmicos no organismo que destroem as células de gordura.

A tecnologia presente nos aparelhos de criofrequência também estimula a produção de novas fibras de colágeno e elastina, levando a uma tensão instantânea na pele (efeito lifting).

Por conta de tudo isso, esta técnica é muito indicada para tratar flacidez facial ou corporal, eliminar celulites e rejuvenescer a pele.

Os resultados da criofrequência são instantâneos e a redução das medidas e das gorduras localizadas são perceptíveis desde a primeira sessão.

O tratamento completo costuma ter entre 8 e 10 sessões, depende do resultado esperado e da avaliação do profissional.

 

Qual tratamento é melhor para eliminar a gordura localizada?

A dúvida entre criolipólise e criofrequência é muito comum. Embora ambos levem o nome "crio", são bem diferentes entre si e um não substitui o outro.

Por trabalharem com estímulos diferentes, é possível unir as duas técnicas para um resultado ainda mais rápido e eficaz, tudo depende da avaliação do profissional.

 

Se você ainda está na dúvida de qual tratamento é melhor para você, faça a sua avaliação gratuita e descubra como eliminar de vez a gordura localizada.